sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Para uma vida mais serena, não encene drama

Existem pessoas que realmente têm vidas dramáticas e quase todos nós já passamos por fases assim. Mas é preciso saber diferenciar o sofrimento real do sofrimento encenado. Tem gente que tem tudo para ter uma vida tranquila e sem conflitos, mas faz questão de encenar drama a cada pequena insatisfação, provavelmente por estar carente da compaixão alheia: "tenha dó de mim!"

Mas drama encenado só fica bem na ficção. Na vida real, reagir de forma emocionada, exagerada e teatral às frustrações diárias é apenas um método infantil que usamos para adiar a busca pela solução do problema.

Reclamações

Reclamar o tempo todo é uma das características das pessoas dramáticas pessimistas. Reclamam se faz sol, reclamam se chove, reclamam se você fica calado, reclamam se você fala, reclamam do arroz, reclamam do feijão, reclamam até da textura da poltrona do carro alheio. O "reclamão" ou a "reclamona" é aquela pessoa que colocou os problemas em um altar e por isso os invoca e idolatra o tempo todo. Para esses adoradores, reclamar de tudo não é só um estilo de vida, é uma religião, é sagrado.

Todos nós temos aqueles dias em que estamos mais rabugentos, seja porque não dormimos bem, porque não tomamos café da manhã, porque o ônibus estava mais lotado do que o normal… Mas o(a) reclamador(a) nem precisa de desculpa: pode estar passando lua de mel com a paixão da sua vida nas Ilhas Gregas que vai continuar reclamando.

Não seja essa pessoa. Se você reclama demais, seu olhar está viciado: você enxerga mais problemas do que soluções. Reprograme seu cérebro! Troque o "isso é uma porcaria!" por "como posso solucionar isso?" Se algo realmente o incomoda, resolva ou busque a solução. Se não há remédio, como em um dia muito quente em que você precisa trabalhar ao ar livre, reclamar o tempo todo só vai piorar a situação porque faz você focar no problema, enquanto poderia estar distraindo seu cérebro com pensamentos mais agradáveis ou até mesmo se dedicando mais ao próprio trabalho que está realizando.

E se você convive com uma pessoa "dramática reclamona", a dica é interagir usando o bom senso: concorde se ele(a) tiver razão, apresente a solução do problema se conhecer uma, fique calado se perceber que ele está reclamando da boca para fora, avise se ele(a) estiver reclamando demais. E se falar algo, pronuncie com suavidade, nunca use o mesmo "tom reclamão".

E lembre-se que reclamar pode ser contagioso. Cuidado para não ser contaminado!

Fracassos

Um tipo de reação dramática muito comum é o vitimismo diante de um imprevisto ou fracasso: "o Universo está contra mim", "só porque eu queria deu errado", "não sei porque ainda tento", "isso sempre acontece comigo", "Deus está contra mim", "só porque era a minha vez". Alimentar esse tipo de pensamento ou, pior ainda, pronunciar em voz alta pode nos levar a um ciclo vicioso em que nunca identificamos as reais causas dos problemas e as formas de preveni-los. "Se a culpa é do Universo, para quê se esforçar raciocinando sobre o problema?" Esse é o comportamento mental das pessoas com tendência ao vitimismo.

Uma das várias consequências negativas do vitimismo é perder a autoestima, já que verá o tempo toda outras pessoas realizando aquilo que a "vítima do Universo" não conseguiu. Você não é menos inteligente! Você não é menos capaz! Você também tem um corpo e um cérebro capaz de soluções criativas! Mas antes é preciso saber que a culpa não é do Universo e que algo pode ser corrigido para que, da próxima vez, você alcance o resultado almejado.

Relacionamentos

Nos relacionamentos, o drama e o vitimismo sempre aparecem por meio da famosa frase "a culpa não é minha". É claro que existem pessoas com uma tendência maior a arruinar os relacionamentos, mas raramente um conflito ocorre por culpa unilateral. Se a outra pessoa é "intragável" e mesmo assim você insiste, a culpa também é sua por forçar um relacionamento com alguém que não nasceu para se relacionar ou não quer se relacionar.

Uma relação serena e pacífica em que as pessoas têm apenas conversas objetivas e necessárias é muito mais saudável do que um relacionamento agressivo e violento em que as pessoas tentam realizar muito juntos quando simplesmente não têm compatibilidade para isso. E é claro que, com exceção de pais e filhos e de colegas de trabalho, a melhor opção é sempre se afastar de quem não te faz bem.

A principal causa desses relacionamentos dramáticos em que um sempre acha que a culpa é do outro é a expectativa. Esperar que a outra pessoa aja e reaja de acordo com o que esperamos dela é um grave sinal de imaturidade emocional e racional. Se eu vim ao mundo para ser feliz, e não para satisfazer as expectativas de outras pessoas, porque devo esperar que outras pessoas tenham vindo ao mundo para me satisfazer? Sendo assim, é pouco inteligente criar expectativas sobre outra pessoa.

Em um relacionamento saudável, as pessoas combinam voluntariamente os termos da relação. Lembrando que confissões forçadas, como a do funcionário que promete nunca mais chegar atrasado após receber ameaça de demissão ou da esposa que promete nunca mais trair após receber ameaça de divórcio, não contam como parte de um acordo sincero.

Notícias

Neste tópico, acho relevante esclarecer meu lugar de fala: sou jornalista e há 5 anos trabalho em um telejornal local. E por saber como as salsichas são feitas, ou melhor, por saber como a seleção de notícias é feita, sempre que tenho a oportunidade dou o mesmo conselho: não assista telejornais; não abra a página inicial dos sites de notícias; não siga pessoas no Facebook que gostam de compartilhar notícias negativas.

As tragédias que vendem jornal, dão acessos ao site, ganham curtidas e aumentam a audiência da televisão não são e nunca foram uma amostra confiável do mundo real, são apenas uma seleção aleatória do que de pior acontece. O mundo real está muito mais cheio de flores nas avenidas, crianças brincando em segurança, pássaros cantando nas árvores, pessoas ajudando umas às outras, "vaquinhas" para ajudar famílias carentes, adolescentes tirando boas notas na escola do que das tragédias que os jornalistas contam todos os dias. E se você tem até medo de andar na rua porque só consegue ver tragédia para todos os lados, talvez o seu olhar já tenha sido contaminado. Faça um detox de notícias para voltar a enxergar o que é belo!

Dramas reais virão

A vida tem sua cota mínima de drama e as verdadeiras tragédias virão… Pare de fazer tempestade em copo d'água e guarde sua energia emocional para esses momentos. Pare de consumir tragédias entre as refeições e guarde sua sensibilidade para os momentos que pedem pessoas sensíveis. Não é nada agradável a sensação de tentar chorar e não conseguir.

Até mais!

Foto: pixabay

Nenhum comentário:

Postar um comentário